Seja Bem Vindo!

Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom, cantai louvores ao seu nome , porque é agradável.

Salmos 135.3

segunda-feira, 30 de maio de 2011

ELOGIE DO JEITO CERTO

Recebi essa mensagem e não poderia deixar de compartilhar. Aproveitem a leitura.

Texto de Marcos Meier -  Mestre em Educação, psicólogo, professor de Matemática e especialista na teoria da Mediação da Aprendizagem em Jerusalém, Israel.

Recentemente um grupo de crianças pequenas passou por um teste muito interessante. Psicólogos propuseram uma tarefa de média dificuldade, mas que as crianças executariam sem grandes problemas. Todas conseguiram terminar a tarefa depois de certo tempo.

Em seguida, foram divididas em dois grupos. O grupo A foi elogiado quanto à inteligência. "Uau, como você é inteligente!", "Que esperta que você é!", "Menino, que orgulho de ver o quanto você é genial!" . e outros elogios à capacidade de cada criança.

O grupo B foi elogiado quanto ao esforço. "Menina, gostei de ver o quanto você se dedicou na tarefa!", "Menino, que legal ter visto seu esforço!", "Uau, que persistência você mostrou. Tentou, tentou, até conseguir, muito bem!" . e outros elogios relacionados ao trabalho realizado e não à criança em si.

Depois dessa fase, uma nova tarefa de dificuldade equivalente à primeira foi proposta aos dois grupos de crianças. Elas não eram obrigadas a cumprir a tarefa, podiam escolher se queriam ou não, sem qualquer tipo de consequência. As respostas das crianças surpreenderam. A grande maioria das crianças do grupo A simplesmente recusou a segunda tarefa. As crianças não queriam nem tentar. Por outro lado, quase todas as crianças do grupo B aceitaram tentar. Não recusaram a nova tarefa.

A explicação é simples e nos ajuda a compreender como elogiar nossos filhos e nossos alunos. O ser humano foge de experiências que possam ser desagradáveis. As crianças "inteligentes" não querem o sentimento de frustração de não conseguir realizar uma tarefa, pois isso pode modificar a imagem que os adultos têm delas. "Se eu não conseguir, eles não vão mais dizer que sou inteligente".

As "esforçadas" não ficam com medo de tentar, pois mesmo que não consigam é o esforço que será elogiado. Nós sabemos de muitos casos de jovens considerados inteligentes não passarem no vestibular, enquanto aqueles jovens "médios" obterem a vitória. Os inteligentes confiaram demais em sua capacidade e deixaram de se preparar adequadamente. Os outros sabiam que se não tivessem um excelente preparo não seriam aprovados e, justamente por isso, estudaram mais, resolveram mais exercícios, leram e se aprofundaram melhor em cada uma das disciplinas.

No entanto, isso não é tudo. Além dos conteúdos escolares, nossos filhos precisam aprender valores, princípios e ética. Precisam respeitar as diferenças, lutar contra o preconceito, adquirir hábitos saudáveis e construir amizades sólidas. Não se consegue nada disso por meio de elogios frágeis, focados no ego de cada um.

É preciso que sejam incentivados constantemente a agir assim. Isso se faz com elogios, feedbacks e incentivos ao comportamento esperado. Nossos filhos precisam ouvir frases como: "Que bom que você o ajudou, você tem um bom coração", "parabéns meu filho por ter dito a verdade apesar de estar com medo. você é ético", "filha, fiquei orgulhoso de você ter dado atenção àquela menina nova ao invés de tê-la excluído como algumas colegas fizeram. você é solidária", "isso mesmo filho, deixar seu primo brincar com seu videogame foi muito legal, você é um bom amigo".

Elogios desse tipo estão fundamentados em ações reais e reforçam o comportamento da criança que tenderá a repeti-los. Isso não é "tática" paterna, é incentivo real. Por outro lado, elogiar superficialidades é uma tendência atual.. "Que linda você é, amor", "acho você muito esperto meu filho", "Como você é charmoso", "que cabelo lindo", "seus olhos são tão bonitos". Elogios como esses não estão baseados em fatos, nem em comportamentos, nem em atitudes. São apenas impressões e interpretações dos adultos. Em breve, crianças como essas estarão fazendo chantagens emocionais, birras, manhas e "charminhos". Quando adultos, não terão desenvolvido resistência à frustração e a fragilidade emocional estará presente. Homens e mulheres de personalidade forte e saudável são como carvalhos que crescem nas encostas de montanhas. Os ventos não os derrubam, pois cresceram na presença deles. São frondosos, copas grandes e o verde de suas folhas mostra vigor, pois se alimentaram da terra fértil.

Que nossos filhos recebam o vento e a terra adubada por nossa postura firme e carinhosa.


*Marcos Meier é mestre em Educação, psicólogo, professor de Matemática e especialista na teoria da Mediação da Aprendizagem em Jerusalém, Israel.

terça-feira, 15 de março de 2011

Batalhando para vencer

Impulsionada a ler o livro de Neemias, logo
tive em mente a reconstrução dos muros de Jerusalém e, então, pensei o que esse
livro traria de novo à minha vida.
Quando cheguei no capítulo seis, quando Sambalate,
Tobias, Gesém, e todos os outros inimigos de Neemias perceberam que suas
estratégias de pararem com a reconstrução dos muros haviam frustrado, então
convidaram Neemias para um encontro num vale (Vale de Ono). Na verdade intentavam
matá-lo. Nesta parte vejo claramente que poderes querem nos impedir de alcançar
o que o Senhor nos propôs a conquistar. Continuando a leitura para entender
melhor o que significava, vi que Neemias, por quatro vezes respondeu o mesmo –
“Estou fazendo grande obra, de modo que
não poderei descer; por que cessaria a obra...?
Entendo que o nosso inimigo tenta minar nossa
fé, nosso prazer em estar no centro da vontade de Deus com desconfortos e
debilidades do local onde fomos colocados. Frustração com o sistema de saúde, burocracias,
nova cultura, dificuldades na equipe, e outras coisas são convites do inimigo
para olharmos para trás e desistirmos dos planos do Senhor para nós. Aos olhos
humanos mal começamos nosso ministério mas, espiritualmente já estamos fazendo uma grande obra e não
podemos descer, voltar, parar o trabalho.
Lidar com oposição – Neemias passou por
provações constantes durante a reconstrução. Teve até que trabalhar nos muros
com a espada à cinta. O que tocava a trombeta tinha que estar sempre ao lado de
Neemias, pois numa emergência, ele daria ordem de guerra. Enfim, eles
trabalhavam e vigiavam ao mesmo tempo – imagino que tenha sido um tempo de
muita pressão. Tinham que fechar
todas as brechas para que ficassem seguros.
Temos passado por pressões, estamos também numa
guerra. A nossa é invisível, sutil e traiçoeira. Reclamar, brigar, ficar triste
e frustrado não resolve. Temos que entender o que está acontecendo no nível
espiritual e lutar com as armas que o Senhor nos deu. Vigilância, pois não
podemos agir por nossas emoções e vontade. Precisamos de muito discernimento e
sabedoria do Senhor. O dono da Obra está conosco. É Ele quem nos garante a
vitória.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Vida Nova!

Uau! Quanto tempo não apareço por aqui com notícias.
Perdão! Tentei publicar algo várias vezes, mas não consegui. Hoje meu coração está livre para escrever, com alegria, o que vivemos e como o Senhor tem nos conduzido nessa jornada.
Passamos por uma grande mudança de planos nas nossas vidas. Estávamos, desde de Hamilton – ON, aguardando a renovação dos vistos, como publiquei na última carta. Mas, cerca de dois meses após nossa chegada em Quebec, depois de uma longa espera, recebemos a resposta negativa. Já havíamos alugado casa, Milana estava matriculada numa escola, os planos bem elaborados e prontos para o trabalho. Com isto, tivemos que, mais uma vez depois de quase dois anos no país, fazer as malas e voltar.
Confesso que passamos por muitos momentos difíceis, e então, decidimos não buscar muitas explicações, mas entender que o Senhor é soberano e tem o controle de todas as coisas. Voltamos à nossa pátria verde e amarela no dia 29 de setembro de 2010.
Nossos líderes são maravilhosos! Fomos recebidos no aeroporto com todas as honras e muito carinho – tudo que precisávamos para enxugar as lágrimas e nos fazer sentir em casa novamente. O encontro com nossos familiares e amigos foi uma recompensa por aqueles momentos de frustrações e tristeza.
Depois de alguns bons dias de descanso, oramos para receber uma nova direção de Deus. Nossa igreja enviadora nos deu liberdade para tomarmos as decisões. Então, o Senhor nos direcionou a ficarmos em São Paulo com nossa igreja – Batista do Povo.
Deus, mais uma vez, tem mostrado seu carinho e cuidado conosco. Estamos morando próximo da igreja e da Casa do Povo, onde funciona todos os escritórios e gabinetes pastorais. Com isto, já matriculamos nossa filha numa boa escola na região. Tudo isto significa que não dependemos de transporte para nos locomover em São Paulo, pelo menos para as atividades cotidianas. E, quem conhece esta cidade sabe o quanto isto é muito importante.
Almeida e eu estamos com a responsabilidade do pastoreio das células da igreja - um trabalho que cresce a cada dia. Além disso, vou poder trabalhar na minha área específica – comunicação. Que maravilha! Toda a área de comunicação da igreja e, especialmente, com o jornal Boa Palavra. Isto me alegrou muito!
Milana já está mais adaptada, tanto na igreja quanto na cidade. Frequenta uma célula de meninas no mesmo prédio onde moramos, está fazendo dança na escola de artes Cenarte e logo voltará às aulas de piano. Ela ainda sente muita saudade dos amigos e colegas da escola em Hamilton, mas está aprendendo a depender de Deus e buscar o conhecimento do Senhor na Palavra.
Então é isso, passar por mudanças e não ter o controle das coisas é doloroso, mas aprendemos que quando o Senhor é o centro das nossas vidas, temos a garantia de estabilidade e segurança. Mesmo que as lutas e tristezas venham, o Senhor está conosco e Sua presença é a provisão de segurança.
Deus é fiel em suas promessas. Ele nunca falha e temos experimentado isto em nossa vidas. Estamos  felizes por tudo que  Deus tem feito.
Cremos que estamos vivendo um dos grandes momentos de nosso ministério. Não entendemos tudo ainda mas, o que importa é obedecer.
Muito obrigado a você que tem nos acompanhado.




sábado, 7 de agosto de 2010

Agosto, mês de mudanças

Ainda que a figueira não floresça, nem a videira dê o seu fruto, todavia eu me alegrarei no Senhor
Amados, poderíamos aqui citar centenas de versículos que falam sobre o que estamos vivendo nesses últimos tempos. Deus tem sido muito gracioso para conosco. A fidelidade Dele tem sido algo muito claro e evidente nas nossas vidas e ministério a cada dia pois, temos visto a sua boa mão nos direcionando, sustentando e suprindo cada necessidade. E, obviamente temos visto como Ele tem usado cada um de vocês. O Senhor tem usado pessoas aqui também para nos abençoar.
Parada durante a viagem
Fizemos nossa viagem de Hamilton para Quebec puxando um trailer que alugamos, onde colocamos nossas malas e caixas. Foi muito bom viajar trazendo Prisicilla (filha do Pr Paulo e Marília Falçarella) conosco. Foi uma benção tê-la conosco durante os seis meses, e nessa mudança ela nos ajudou muito na arrumação da casa.

Ao chegarmos em Quebec, aproximadamente às 18h, encontramos a casa toda arrumada com móvies, inclusive o quarto de visita. Tudo básico para uma casa estava no lugar, alguns itens emprestados, mas até o café da manhã seguinte já estava na geladeira. Mais tarde uma amiga chegou com o jantar prontinho para nós. Reconhecemos a mão e cuidado de Deus em resposta as suas orações. Obrigado por nos acompanhar e interceder por nossas vidas.
Jacques - irmão da igreja que reuniu as
doações da casa para nós

Ainda estamos aguardando resposta dos nossos pedidos de renovação do visto, o que na verdade temos que recebê-los antes do dia 12 deste mês, pois é a data do vencimento.

Brian e Kim - doaram o carro para nós
Ganhamos um carro três anos mais novo que o outro que deixamos em Hamilton para ser usado por missionários que vêm de férias. Um casal que estava trabalhando nos EUA decidiram nos doar. Tem dado um pouco de trabalho para trocar a placa e passar pela inspeção, e com isto muitos gastos mas, não tínhamos outra opção.

Nesta próxima semana o pastor da igreja em que vamos frequentar por um ano (Carrefour De La Capitale) voltará de férias e então nos reuniremos para traçarmos nosso programa de trabalho. Também, verificaremos um curso de francês para melhorar nossa comunicação.

Centro de Quebec
Andando pela cidade vemos a situação do povo, e por esses dias me entristeci muito ao ver como o inimigo os tem cegado conduzido-os para o abismo. Uma nação que pensa ter tudo, pois estão mergulhados no materialismo, mas são miseráveis espiritualmente. Não somente os jovens mas, também os idosos, são tomados de incerteza, medo. Se embriagam, se drogam ... Precisamos de muita graça e unção de Deus para alcançar esse povo. Precisamos de muita audácia vinda do Senhor para confrontar o inimigo, pois os gigantes estão por todo lado. Não estamos aqui na nossa força e, sim, na força do Senhor. Com isto, dependemos das suas orações. Sem esta retaguarda não poderemos dar um passo sequer.

Milana iniciará na escola em setembro e, as vezes, ela comenta estar com um pouco de medo, mas isto é normal quando se enfrenta o novo. Atualmente ela esta aprendendo com a mãe a fazer bordados ponto de cruz, como passa-tempo. Depois desses meses com a companhia de Priscila, agora ela está um pouco mais silenciosa, pois sua irmã mais velha voltou para Hamilton. Que o Senhor as ajude nessa amizade à distancia.

O amanhecer quando deixamos
 Hamilton em direção a Quebec
Queridos, queremos lhes agradecer pelo cuidado e orações. Cada um que tem investido das suas finanças no nosso ministério, oramos sempre que Deus lhes faça prosperar em tudo que colocarem as mãos. Muito obrigado!


Nosso abraço com saudades,
Almeida, Margareth e Milana





Festival em Quebec



Anúncio do casamento da filha do Duque
O festival Nouvelle-France é uma festa histórica e cultural que toma a atmosfera da cidade de Quebec a cada verão. O objetivo é recriar o mundo da época dos primeiros europeus que vieram para a região. As pessoas se vestem com roupas e aparatos típicos e andam pelas ruas da cidade velha como se vivessem nos anos a partir de 1608, quando Quebec foi fundada. Além de atrair muitos visitantes, vários shows, competições de roupas típicas, mercado aberto, artes e muitas cenas do cotidiano antigo bem na sua frente. Os Quebequenses culpam a França de tê-los abandonado, mas afirmam que nunca abandonarão sua herança, sua cultura.
Coral de músicas antigas
Cortejo funeral
A caminho do cemitério
A nobreza anda pela cidade
Cigana conta história para crianças
Uma boa conversa pela praça

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Copa do Mundo, Estação das Bandeiras

Desde 11 de junho a paisagem do Canadá mudou com a Copa do Mundo. Se antes questionavam a quantidade de imigrantes e refugiados, agora está estampado nas casas e carros - as nações vieram para as terras canadenses.


E a presença da bandeira brasileira tem sido impactante. Há poucos dias conversávamos sobre a quantidade de brasileiros em Hamilton, pois com as bandeiras nos carros, muitas e muitas são do Brasil. Intrigado, Almeida começou a abordar alguns com a nossa bandeira. Daí veio a grande descoberta – nem todos são brasileiros, mas torcem vigorosamente pelo Brasil. A maior parte deles são iraquianos. Maravilha! E que o nosso time não nos decepcione.

Almeida está na conferência da WEC Canadá desde o dia 28 de junho, em Vancouver. Enquanto Milana, Priscila e eu ficamos em casa, empacotando o que vamos levar na mudança. Almeida volta dia 09 de julho e dia 13, bem cedo, seguimos para Quebec.

Milana já está de férias. Conseguiu fechar bem o ano escolar em Hamilton com notas A e B, agora é esperar para ser matriculada na escola na provínvia francesa. Graças a Deus ela poderá continuar os estudos em uma escola pública inglesa, o que a deixa mais tranquila.

Estamos prontos para a mudança, mas não recebemos nenhuma resposta da renovação do visto. Já enviamos todos os documentos necessários e estamos orando e confiando no Senhor. Por favor, nos ajude em oração.

Desde o mês de maio vivemos momentos especiais. Primeiro o Pr. Roberto Botrel da IBC (Igreja Batista Central de BH), participou de uma conferência nos EUA e logo depois nos presenteou com sua visita. Ministrou na igreja que frequetamos, e mais numa outra que temos contato. Foram dias maravilhosos, pois é um homem de Deus, agradável e divertido. Acostumado a lidar com a garotada, o Pr. Roberto deixou Milana à vontade, jogando e brincando.

Logo depois recebemos um casal de missionários que trabalha com o Projeto Amanajé – Amazonia. Marcio e Isaura também pregaram numa igreja e falaram no culto de missões da WEC Canadá. Foram dias corridos, mas muito bons. Sandra que trabalha com finanças na Base do Brasil também veio. Matamos a saudade.

Por fim, Hans e Rosi Schultze, líderes regionais (Américas, Portugal e Espanha) da WEC International vieram para a conferência da WEC Canadá. Ficaram quatro dias conosco e falaram no culto de missões na Base Canadá. No domingo pela manhã, Hans pregou no culto em que nos despedimos da igreja West Highland Baptist. Foi uma clara palavra de Deus para a igreja local e que nós também tomamos posse – molhe os pés no jordão e Deus fará.

Queridos, o Senhor tem sido bondoso conosco. Sua provisão tem sido diária. Sua presença constante. Estamos felizes em servi-Lo.

Muito obrigada por suas orações e sustento. Que o nosso Deus lhes retribua conforme Sua bondade.

Por favor, nos ajudem a orar por:

Nosso visto,

Nossa mudança,

Saúde para toda a família,

Por nossas igrejas e líderes no Brasil.

 
Abraços,

Família Almeida